28 julho 2011

Fina do mês




Querem o clone,
A fonte da juventude,
Um relógio que mude
Enquanto milhões passam fome.

Querem a plástica,
Mas o caráter não se conserta,
Agora é tudo em conserva
Cada um com a sua máscara.

Na estupidez de resignam,
Da matéria nada eliminam
E se buscam falsamente.

Não saber que somos mais do que vem no final do mês?
Tens medo do que não vês?
Mas quando dorme, divagaeternamente.


Débora Cristina Albertoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário