19 janeiro 2012

Memórias Rasgadas




Rostos sem feição
De um mundo nublado
Calado e fechado
Para qualquer nova lição.

Espelhos que choram
Nas faces a mão enxuga
Aquilo que machuca
Daquilo que Eram.

Nas cartas rasgadas
Há lágrimas caladas
Com sorriso falso nos lábios.

Dilacera a memória
O coração, a história
Que um dia foi contada.


Débora Cristina Albertoni

Um comentário:

  1. Nossa!esse postagem esta muito boa..OMG!
    Legal..Débora..gostei muito!

    ResponderExcluir