29 maio 2012

Hospedeiro


Criados por prantos
Manchados de sangue
Longe dos belos montes. 

Não sabem o que são palavras 
Armações se revestem no medo 
Vêem o que vejo 
Nas sombrias paradas. 

Chamam de mistérios 
Outros de impropério 
Ainda outros de cacheiro. 

Pendurados nos anseios
Brincam de conselheiros
Mas choram as marcas do hospedeiro.


Débora Cristina Albertoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário